ASTROBLOG

Você conhece a Internet das Coisas?

Essa inovação vai revolucionar a forma que interagimos com os objetos do nosso dia a dia

A Internet das Coisas é a nova tecnologia que traz conectividade aos objetos e está ganhando cada vez mais destaque, com a expectativa de novas funcionalidades que irá trazer para itens comuns do nosso cotidiano. Algumas inovações como carros que dirigem sozinhos, sistemas de monitoramento de pacientes e idosos em casa, equipamentos que regulam iluminação pública e semáforos de trânsito são alguns exemplos do que a Internet da Coisas (também chamada de IdC) pode fazer. Com isso, a conexão à internet se expande para além dos computadores e smartphones, outros aparelhos passam a receber uma forma diferente de interação e também de integração.

Através da Internet das Coisas (IoT - Internet of Things em inglês), novas funções serão atribuídas aos dispositivos que já existem, conversando de uma maneira diferente com as pessoas e entre um aparelho e outro. Porém, para que esse sistema possa ser colocado em prática, alguns fatores precisam funcionar de maneira integrada. Assim, são necessários módulos inteligentes, como processadores e memórias; dispositivos que estejam preparados e que sejam  desenvolvidos pelos fabricantes para receber esse tipo de conexão; serviços de conectividade e infraestrutura para viabilizar o acesso à internet e a conexão desses dispositivos; habilitadores e integradores, sistemas que controlam, processam e integram as informações dos dispositivos, provedores de serviços de IdC também se fazem necessários.

A Internet das Coisas não seria exatamente uma nova tecnologia, mas uma inovação na conexão entre tecnologias que já existem. Diversos dispositivos já possuem conectividade, porém a evolução da Internet das Coisas pode trazer uma expansão dessa conectividade, aumento do processamento dos dados e uma evolução dos sensores que coletam esses dados em diferentes formas de entrada dessas informações. Essa nova conexão entre dispositivos também pode trazer mudanças na forma como nos habituamos a tomar decisões, já que agora elas serão influenciadas pelos novos dados que serão gerados com as mudanças do monitoramento, coleta e processamento de informações.

E muitas vezes as próprias máquinas poderão tomar algumas dessas decisões, como aparelhos de ar-condicionado que regulam suas funcionalidades de acordo com as informações que coleta do ambiente, por exemplo. Outro exemplo seria a possibilidade de controlar equipamentos à distância, como em eletrodomésticos inteligentes, onde é possível ligar a panela para fazer o seu jantar enquanto você ainda está a caminho de casa ou regular o aparelho de ar-condicionado de qualquer lugar que você está.

Essas mudanças não se limitam apenas às residências, mas também pode influenciar no âmbito rural, nas linhas de produção industriais, nos sistemas de segurança e monitoramento públicos e privados, entre outros aspectos. Tudo isso com o objetivo de desenvolver soluções práticas para o aumento da eficiência dos processos e a redução de intervenção humana. Entre as consequências, teremos um fluxo de dados cada vez maior, com novas informações sendo coletadas, processadas e compartilhadas. E para suprir as necessidades que esse fluxo vai exigir, novas tecnologias como a internet 5G serão desenvolvidas como solução.

Regularização

Em relação à regularização, o governo federal anunciou o Plano Nacional de Internet das Coisas, através do decreto nº 9854 de 2019. Esse decreto define conceitos e objetivos para a implementação desse sistema e infraestrutura no Brasil. O Plano Nacional de Internet das Coisas também determina o fomento para a capacitação profissional, produtividade e competitividade em empresas, inserção do Brasil no cenário internacional e projetos de incentivo de estudos e pesquisas sobre a IdC. O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações indicará as áreas que serão prioridade, porém o decreto estabelece que nelas devem estar incluídas as áreas de saúde, de cidades, de indústrias e rural.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) abriu consulta pública para receber sugestões sobre a regulamentação da Internet das Coisas. Por meio da consulta pública, a Anatel busca a contribuição da sociedade para sejam aplicadas regras abrangentes e para analisar se as aplicações relacionadas à Internet da Coisas podem ser compreendidas também pela regulamentação atual. Entre os aspectos que estão em discussão, estão tópicos relacionados aos direitos do consumidor, modelos de negócios, formas de prestação de serviços e a qualidade destes serviços, modelos de tributação desse segmento e licenciamento das empresas do setor. A Internet das Coisas no Brasil ainda tem longo caminho para se desenvolver e ganhar mais destaque, mas os primeiros passos já estão sendo dados.

 

Este conteúdo é produzido pela agência de marketing digital Plataformanet  e publicado no caderno de tecnologia em parceria com o Portal ABCdoABC. Continue acessando nosso conteúdo e acompanhe as novidades sobre o mundo da tecnologia, entre outras dicas de serviços e aplicativos.

Crédito da imagem: Freepik

< Voltar