ASTROBLOG

Invasão dos Smartphones Chineses

Conheça as fabricantes chinesas, Huawei e Xiaomi, que estão roubando o lugar de gigantes como a Apple

Há pouco tempo, quando ouvíamos falar de um produto chinês, automaticamente surgia as dúvidas em relação à sua qualidade. Mas as fabricantes Huawei e Xiaomi estão empenhadas em quebrar esse paradigma, buscando desenvolver produtos com foco na qualidade. Antes, os parâmetros de qualidade eram ditados pelos lançamentos da Apple, porém hoje os chineses buscam superar cada vez mais todas as especificações, mantendo os preços acessíveis. A Huawei é especialista em serviços e produtos de telecomunicações e a Xiaomi também possui em seu portfólio uma gama de produtos eletrônicos.  

Esse segmento do mercado chinês começou a sua evolução com o desenvolvimento e montagem de componentes eletrônicos de outras empresas. Os celulares chineses começaram conquistando o mercado interno da China, que não é pequeno e corresponde a um terço do mercado de smartphones no mundo. Em 2018, mais da metade dos smartphones vendidos no mundo, eram chineses. Hoje, a Huawei é a segunda maior fabricante de smartphones do mundo, estando atrás apenas da Samsung em primeiro e ultrapassando a Apple que ficou em terceiro, a Xiaomi fica em quarto lugar.  

A China ainda é o maior mercado consumidor de celular chinês. A Xiaomi já faz sucesso na Europa, porém ainda não possui venda direta nos Estados Unidos e a sua entrada no mercado americano até agora está em planejamento. A Huawei também possui uma boa parcela do mercado europeu, porém os seus problemas com os Estados Unidos podem começar a afetar as suas vendas na Europa. 

XIAOMI 

A Xiaomi foi fundada em abril de 2010 e tem apenas 9 anos no mercado, fabricando itens de hardware, software e serviços de internet. Em seus smartphones, a Xiaomi utiliza o MIUI, uma versão do sistema Android, com interface modificada. A empresa já havia tentado entrar no mercado brasileiro em 2015, mas não teve muito sucesso nessa tentativa. Agora voltou em 2019, lançando uma loja online oficial e inaugurando uma loja física em um shopping na Zona Sul de São Paulo.  

A Xiaomi começou apresentando primeiramente os modelos de smartphones Pocophone F1 e o Redmi Note 6 Pro e, mais recentemente os modelos Redmi Go, Redmi 7, Redmi Note 7 Pro, Xiaomi Mi 8 Lite e Xiaomi Mi 9. A empresa também trouxe para o Brasil a pulseira inteligente Mi Band 3, uma versão mais acessível de smartwatch, que promete ter acesso ao WhatsApp e Facebook, além de bateria durável e resistência a água. Entre outros produtos, a Xiaomi também trouxe a Scooter Elétrica Mi, a câmera Mi Home Security Camera 360° e a Lâmpada LED Inteligente Mi. 

HUAWEI 

A Huawei foi fundada em 1987 com o objetivo de trazer soluções em tecnologia da informação e comunicação. Hoje, a fabricante chinesa tem mais de 180 mil funcionários e possui operações em mais de 170 países. Além dos seus smartphones, a Huawei também se destaca pelo desenvolvimento da tecnologia 5G, tendo inclusive lançado uma linha de chips prontos para receber transmissões 5G. 

No Brasil começou a disponibilizar alguns aparelhos em 2018, mas foi só em 2019 que entrou efetivamente no mercado brasileiro. Atualmente, tem pontos de venda físicos com quiosques em shoppings de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Também possui parceria com Vivo, Fast Shop, Americanas.com, Casas Bahia, Submarino e Ponto Frio. O foco do seu portfólio está nos smartphones Huawei P30 Pro e Huawei P30 Lite. 

Por causa de decisões do governo dos Estados Unidos, a Huawei vem tendo complicações sérias em suas relações comerciais com empresas americanas. Entre as consequências que mais preocupam está o problema com o Google, que indisponibilizou o Android para a fabricante chinesa, que utilizava o sistema em seus smartphones. 

Este conteúdo foi produzido pela agência de marketing digital Plataformanet e publicado no caderno de tecnologia em parceria com o Portal do ABCdoABC. Continue acessando o nosso conteúdo e acompanhe as novidades sobre o mundo da tecnologia, entre outras dicas de serviços e aplicativos.

< Voltar